Matéria gentilmente cedida por Olendino Mendes

Anos de Terror
por Paulo Rensie

O que aconteceu com as pequenas editoras de quadrinhos, no Brasil e nos EUA, no fim da década de quarenta, é magnificamente descrito em uma HQ clássica de Shimamoto, publicada pela Editora Outubro. Na história "Contos Macabros", um certo Sr. Nickles, pequeno (literalmente) editor da cidade de Baltimore, se encontra a beira da falência. Sem conseguir comprador para sua pequena editora, ele recebe a visita de um desconhecido que lhe oferece um pacote de originais de histórias-em-quadrinhos. Nickles, desinteressado, deixa os originais sobre sua mesa por várias semanas até que decide devolvê-los. Só então se dispõe a lê-los e descobre, com surpresa e divertimento, que eram histórias de terror. Mas suas zombarias duram pouco: uma rápida leitura das histórias o deixa apavorado. Trêmulo, ele liga para o autor, um certo Edwin Hurok. Tempos depois a Editora Nickles é a detentora do maior sucesso editorial dos Estados Unidos: a revista em quadrinhos "Sinister Tales". Não vamos contar aqui o desfecho surpreendente dessa história. Basta observar que em sua primeira parte ela descreve, com detalhes, o que aconteceu mais de uma vez na vida real: uma pequena editora faz sucesso com uma revista de um gênero novo. Seu sucesso provoca uma reação negativa das grandes editoras que passam a pressioná-la, principalmente alegando que tal tipo de revista deveria ser proibida. O público, no entanto, quer mais emoções fortes. O público? Mas quem são estas pessoas que pagam para ter pesadelos?
Trecho da história "contos Macabros", de Shimamoto.
"Contos Macabros", de Shimamoto: Mr. Nickles e os quadrinhos de terror.

Desenho de Jayme Cortez
Vinheta criada por Jayme Cortez, para divulgação da revista "Histórias Macabras".
Capas
Acima: as capas das revistas da era de ouro eram um desfile de imagens insólitas e perturbadoras, criadas pelo talento de J. Cortez, Miguel Penteado, Nico Rosso e Zezo, entre outros.
Desenho de Jayme Cortez.