Quadrinhos no Brasil!



O Site Bigorna.net, entrevistou o nosso Editor Ulisses Azeredo. O Nostalgia do Terror, agradece a equipe do Bigorna e a boa vontade de Márcio Baraldi, por Divulgar esse trabalho de Resgate dos Quadrinhos Brasileiros.

Segundo Álvaro de Moya, a primeira HQ de terror publicada no Brasil foi um episódio da série "Dr. Oculto", assinada por Leger e Reuths, que circulou em 1937 na revista Mirim. Leger e Reuths, vale lembrar, eram os pseudônimos de Siegel e Schuster, os criadores do Superman, origem e modelo de todos os super-heróis.

A Garra Cinzenta foi publicado em 100 capítulos no tablóide a Gazetinha entre os anos de 1937 e 1939 e foi um para os quadrinhos nacionais. Foi o precursor do gênero de Terror e Super Heróis em nosso país. os Textos eram de Francisco Armond e os desenhos inovadores de Renato Silva.

A primeira revista brasileira de quadrinhos de horror chamava-se "O Terror Negro" e surgiu em 1949. Curiosamente, ela foi primeiro a revista de um super- herói: o Black Terror, de Jerry Robinson e Mort Neskin. Foi o fracasso de vendas deste herói, palidamente calcado em Batman, que levou a Editora La Selva a aproveitar o título já registrado para publicar um pacote de histórias de terror norte-americanas. Foi um grande sucesso, com alguns números se esgotando completamente. Este Título circulou até 1968

Em 1976, invade as bancas brasileiras um fenômeno chamado Kripta, da RGE, que, nas palavras de Antônio Rodrigues, gerou todo um "revamp", fazendo surgir várias outras publicações como Calafrio, da D-Arte. Um comercial de TV anunciava a publicação, finalizando com a frase "Com Kripta, qualquer dia é sexta-feira, qualquer hora é meia-noite". "Foi um sucesso estrondoso. A excelente revista era constituída, com material da Warren Comics e quadrinhos de primeira linha desenhados por gente do naipe de Neal Adams, Esteban Maroto, José Ortiz, Paul Neary, Bernie Wrightson, Luiz Bermejo entre outros e textos de Budd Lewis, Doug Moench, Archie Goodwin, etc." Surgia aí, a segunda onda dos quadrinhos de terror no Brasil.

Em meio a tantas e diversas publicações da década de 80, uma mereceu (e ainda merece) destaque especial: A revista Spektro. Publicada pela Editora Vecchi entre os anos de 1977 e 1982, durou 27 edições. Tinha mais de 160 páginas por edição, em preto e branco. A revista tinha algumas características básicas, como o uso de personagens como narradores, uma constante. No entanto, como provavelmente não havia pacientes em número suficiente para tantos doutores, com o andar da carruagem, as histórias nacionais passaram a ter cada vez mais destaque, até que passaram a publicar 100% material brasileiro. – Por Marcelo Naranjo in Universo HQ.